Login Registar

Login na sua conta

Utilizador *
Password *
Lembrar

Criar uma conta

O campos marcados com um asterisco (*) são de preenchimento obrigatório.
Nome *
Utilizador *
Password *
Verificar password *
Email *
Verificar email *

Muito desejadas há um ano atrás (2017) as baterias U-Power TFS 250 não provaram serem eficazes na maioria dos sistemas fotovoltaicos em que foram instaladas. A bateria que tem ótimo aspecto quer no seu formato quer na forma de ligação, dispensa manutenção o que agrada muito aos utilizadores e apresentava um preço imbatível, afinal tinha algo escondido, ou não?

Vejamos a história da bateria U-Power TFS 250. Ela aparece no mercado de baterias para sistemas solares mas é um modelo único, ou seja, não existe capacidade maior nem menor, só aquela. A explicação que obtivemos na altura foi que teria sido produzida uma grande quantidade deste modelo e por isso o seu excelente preço. Baterias essas que teriam sido encomendadas por uma operadora de telecomunicações espanhola. Aqui começa a suspeita. É uma bateria para telecomunicações (para funcionar como UPS) ou é uma bateria para sistemas solares (com ciclos diários de carga e descarga)? Podemos ver que a Master Battery tem uma gama de baterias para telecomunicações exatamente com aquele aspeto e características. Ver http://www.masterbattery.es/pdfs/UP-TF200-12.pdf ou a página http://www.masterbattery.es/up-telecom.html

Interrogado o fabricante sobre o número de ciclos que as baterias suportam, a informação nunca foi concreta, e o facto é que não se encontra essa informação. Nas baterias de telecomunicações o número de ciclos não é o mais importante e por isso não vem descrito no PDF. Já nos sistemas solares os ciclos são uma informação fundamental e geralmente a mais terrível por apontar a longevidade da bateria. O mesmo acontece com outras marcas de baterias, adaptaram boas baterias de telecomunicações para serem utilizadas em energia solar, mas isso vem sempre com algumas restrições.

A CCBS Energia, salvo raros casos, nunca recomendou esta bateria. Ela não é apropriada para ciclos de carga e descarga profundos. Por esse motivo em instalações sujeitas a cargas e descargas diárias, por exemplo em casas de habitação permanente ou empresas, esta bateria não deve ser instalada sem antes observar as suas restrições. Apenas em casas de fim de semana, autocaravanas e outras aplicações esporádicas consideramos esta bateria uma boa opção.

Caso o seu sistema tenha baterias U-Power TFS 250 instaladas deve limitar a profundidade de descarga a 40 ou 50%, por exemplo a 12V em vez dos 11,5V ou 11,0V habituais. Jamais a descarga deve descer aos 10,5V. Desta forma tenta-se que a bateria dure mais anos antes de perder a sua capacidade. Se usada de forma regular a uma profundidade de descarga de 70% ou 80% a bateria não durará mais de dois anos. É igualmente importante que a carga total seja atingida pelo menos uma vez por semana.

Em sistemas de por exemplo 48V, em que existem 4 baterias em série, é importante verificar se a tensão de cada bateria é idêntica. Com o passar do tempo as baterias tendem a ficar desequilibradas e assim umas com tensão superior a outras. Isso ocasiona sobrecarga numa e carga incompleta noutra, comprometendo o desempenho do conjunto. Nos casos em que foram instaladas 8 baterias (4 em paralelo com 4) o desequilíbrio acontece mais frequentemente. Veja a tensão individual de cada bateria e corrija com uma carga individual. As baterias AGM tal como as de Gel têm a vantagem de não precisarem de manutenção, mas isso impede o recurso à carga de equalização, que tal como o nome indica, equaliza (torna igual) a carga entre todas as baterias. Apenas as baterias de ácido aberto (com manutenção) podem beneficiar de carga de equalização.

O que fazer se tiver um grupo de baterias TFS 250 a funcionar mal? Contacte-nos e ajudaremos a fazer as medições e correções se forem possíveis. Ajudamos também a distinguir se tem direito a garantia ou não.

Em último caso ajudamo-lo a encontrar uma alternativa para que o seu sistema volte a funcionar corretamente.

Resumidamente, é uma bateria capaz de ser utilizada em sistemas solares mas com restrições. Nos casos a que já tivémos acesso, o envelhecimento precoce deveu-se principalmente à má configuração os inversores híbridos a que estavam ligados. Axpert, Effekta e Master Power, cujos parâmentros que trazem de fábrica não são apropriados para esta bateria. Infelizmente é um facto lamentável e revelador da falta de conhecimentos dos instaladores. Nunca os parâmetros por defeito são bons, muito menos para esta bateria. Culpar o fabricante não é resposta já que não é ele que configura os equipamentos. Se é um consumidor final peça responsabilidades a quem lhe instalou o sistema, que possivelmente lhe indicou que as baterias iriam durar 4 ou 5 anos pelo menos.

Associações

2bni4anjeCAI

 

 
Copyright © CCBS-Energia 2014